quarta-feira, julho 12, 2006

Aborrecentes II

Tava dando umas voltas no Orkut quando me deparei com essa "questão de múltipla escolha" no perfil de um guri, que imagino ter uns 15, 16 anos (não é possível que uma criatura com mais de 16 anos escreva de um jeito tão imbecil). Respirem fundo, ignorem os erros de português e sintam o drama:

"RaLaciOnaMentOh
[ ] seIm ninguem
[ ] toH fikandO
[ ] tOh naMorandO [namorinHo de nadaH]
[ ] toH naMorandO [naMorO serIo]
[x] to solteiro
[ ] nOn poSSu fikaH cum ningueM"

Uma coisa eu me pergunto: depois de tantas opções de relacionamento, o que viria a ser "não posso ficar com ninguém?". Será que o moleque tem herpes e marca essa opção quando está com pereba na boca?

Outra: o que seria "ralacionamento"? Será uma referência à "ralação", ao esfrega-esfrega?

PS: se imaginaram que eu ia me p
erguntar "o que leva um ser humano a escrever de semelhante forma e ainda se achar muito cool por conta disso", respondo: já fiz essa pergunta várias vezes, e já me cansei de tentar entender. A única resposta que eu tenho é dos próprios teens, que dizem "vocês tem é inveja da gente". No dialeto imcompreensível deles, claro.

6 comentários:

Menina Crescida disse...

Que seria algo do tipo: "C tAuM Cum InVeJaHhH", puta merda dá mto trabalho escrever assim, eu desisto. Pior é a carinha de EMO e as variações da mesma pose no álbum, com legendas enormes em miguxês... É o fim do mundo. Minha irmã mesmo adotou o Srta no orkut dela Gabi, depois vc passa lá e dá uma zoada nela, rs, mas não diz que fui eu que falei, rs....

Red's disse...

Ele não pode ficar com ninguém porque deve estar enjaulado, amarrado e tomando doses de Gardenal de hora em hora.

Tio Xavier disse...

Mineirinha Querida:

Tremei! Eu acabo de fazer amizade (mp3zística) com um jovem portuga residente em Lisboa. Ele escreve "aki", "knada" e "ktal". O Armagedon está próximo.

Senhor Lancaster disse...

Você escreve, Gabi?
Poesia, contos, romance, resenhas, algo assim?

Gabriela Iscariotes disse...

Escrevo quando me dá na telhae onde acho espaço. Tem os textos do blog (que não consigo atualizar com a frequência necessária, embora não me faltem idéias); uma ou outra porcaria no Orkut, nas poucas comunidades em que dá para discutir alguma coisa.

Tenho umas idéias para histórias e personagens, mas a maioria acabou chegando num beco sem saída e estão cheias de pontas soltas. Preciso arrumar disposição para escrever direitinho, revisar, fazer pesquisa (pra não dar uma de Dan Brown e escrever merda sobre o que eu não sei), tapar os buracos, essas coisas. A que eu mais gostava era uma comédia sobre um grupo de agentes secretos russos meio malucos, que agiam durante a Segunda Guerra Mundial. Bacaninha, mas tinha um monte de vícios de mangá que precisam ser corrigidos urgentemente (fora alguns clichezões, que só fui enxergar agora). Tava parecendo comédia-padrão americana: começa escrachada, mas termina dramática (e com lição de moral no caso do filme americano).

A questão é justamente equilibrar o que o público quer com aquilo que eu gosto. Como saber (e dar) aquilo que o público quer? Complicado...

Senhor Lancaster disse...

Antes de pensar em termos de público, adequação, etc, etc, é preciso olhar a sua idéia.

Me mostre seus personagens e seus textos.
Quero conhecer esse seu lado criativo.