segunda-feira, agosto 07, 2006

Agora, recado para não-amigos do meu Orkut

Fazem uns três meses que o Orkut resolveu implementar aquele sistema que permite que você saiba quem viu o seu perfil. Uma ferramenta bacaninha, inclusive porque quem não quer ser dedurado tem a possibilidade de desativá-la (mas paga o preço de não saber quem andou passeando pelos seus dados. C´est la vie). Até aí, tudo bem.

Mas muita gente ficou simplesmente neurótica com isso: para eles, não basta saber quem andou na sua página, mas PORQUE essa pessoa entrou lá. E aí é um tal de "se veio aqui, deixa scrap falando o que estava procurando". Ou então tem gente que fica cheia de dedos por entrar no perfil de um desconhecido, e já vai se adiantando e pedindo desculpas pela "invasão".

Visualizar perfil não é "invasão", de forma alguma. O Orkut é público e desde que você submeteu o seu perfil, saiba que um monte de gente já passou por ele. O que o "visualizador" fez foi lembrar isso a todos (parece que ninguém se lembrava desse "detalhe". Ou melhor, lembrava sim, mas apenas quando era adicionado por algum conhecido não muito íntimo, que não podia saber que você fazia parte de alguma comunidade constrangedora).

Engraçado ver que aquilo que era um dos objetivos principais do Orkut acabou virando uma coisa feia, uma espécie de "crime". Eu não sou obrigada a justificar a minha espiadela na sua página: eu posso estar lá por inúmeras razões e ter chegado a seu perfil por diversos meios, e se eu tiver algo a dizer pode ter certeza de que farei isso. Se vier cobrar satisfações, vou ser tão (bem ou mal) educada e (bem ou mal) humorada na resposta quanto você foi na pergunta.

E se você fica extremamente incomodado com os visitantes no seu perfil, esse blog tem a solução. Faça o seguinte: coloque no Orkut apenas coisas que não queimem o seu filme. Sei lá, aquilo que você não se importaria que aquela velha gagá da sua vizinha soubesse (e espalhasse para o bairro todo).

Não funcionou? Segunda opção: desligue o visualizador, que aí você evita a neura de "porque será que esse cara entrou na minha página".

Se ainda assim continuar roendo o calcanhar de curiosidade, terceira opção: exploda-se do Orkut. De gente babaca e estressada aquela merda já está cheia, e um a menos vai ser até melhor.

PS: post em homenagem à uma amiga de um amigo meu que, indignadíssima por uma desconhecida estar olhando seu perfil, veio me perguntar se eu tinha achado o que estava procurando na página dela (não nessas palavras, mas num bloguês arcaico sofrível). Não, cara pentelha: confesso que procurava um rapaz com apelido feminino, que foi o que eu julguei que você fosse pela sua foto e nome. Mas encontrei apenas uma garota cismada e preocupada com picuinhas de mundinho de Internet (e ainda por cima muito mal-cuidada).

7 comentários:

Senhor Lancaster disse...

Quem manda você ser querida?

Menina Crescida disse...

Hahahaha, eu concordo, em gênero, número e grau. Bando de gente neurótica...Não desativo meu visualizador e também não dou satisfações a quem quiser saber o que eu tava fazendo lá, rs..
Bjus.

Tio Chico disse...

só quem não tem inimigos pode se dar ao luxo de fuxicar nos perfis (deles) sem desativar esse lance de identificar o visitante. Ou usar um fake

Gabriela Iscariotes disse...

Bem, eu tenho um fake. E confesso que já foi bastante útil...

Tio Xavier disse...

Well, na dúvida eu desativei meu visualizador. E penso que ninguém achará nada lá no Orkut tão distinto do meu modo de ser no mundo real.

Michel de Oliveira disse...

Finalmente isso apareceu de novo, hein?

Menina Crescida disse...

agooooooora tá funcionando... depois passa lá, eu atualizei... e alguma notícia da menina que perdeu a pochete^?