sexta-feira, setembro 19, 2008

E sobre o chuvão que caiu na quarta-feira aqui em BH

Antes que me perguntem: eu estava no prédio (melhor seria chamar de puxadinho) da Gravura lá da UFMG, imprimindo o fechamento de uma serigrafia quando o dilúvio começou. Pensei que era só uma chuva forte e que ia passar rápido, até o momento que eu vi uma cachoeira escorrendo pelo tudo do exaustor. Nesse momento pensei:

- Nó, fodeu!

E depois disso foi correria pra juntar material que estava espalhado em cima da mesa e salvar trabalhos (felizmente não perdi nenhum), enquanto o telhado furado deixava a água entrar e as placas de isopor do teto rachavam por conta do peso dela. No meio disso ainda tive sangue frio pra destarrachar a tela que eu estava usando e lavar com detergente antes que entupisse.

A única coisa que não pude fazer nada foi em relação ao meu carro: tá cheio de marquinhas circulares, parecendo um monte de celulite. E ainda tive sorte, porque vi alguns carros com vidros rachados e um que o pára-brisa estilhaçou todinho.

No final todo mundo fez um mutirão e puxamos a água pra fora da Gravura, levantamos os móveis e fizemos o que deu pra protejer os equipamentos elétricos. E tudo isso por causa de quinze minutos de chuva de granizo. Quinze-fucking-minutos!

A Tânia e a Daise já reclamam das condições da Gravura há tempos.
A sala de Gravura em Metal/Xilo é pequena para o número de alunos que têm aulas lá (é onde a turma da Impressão faz aula tb, e nesse dia é um horror, dificulta até a concentração) e no calor esquenta horrores.

Quando fui ter minhas primeiras aulas de Serigrafia, a sala estava cheia de mofo pelos cantos e nos armários, tiveram que adiar pra fazer a limpeza. Fora que é encostada na garagem de caminhão, eles mandam CO2 fedido pra gente e em troca a gente os incomoda com o barulho do jato, uma beleza.

Pior ainda é lembrar que esse ano já aumentaram o número de vagas no vestibular da EBA. O "pior" não é por causa dos alunos em si, mas saber que o espaço que já era pequeno vai ficar ainda mais espremido.

Um comentário:

Thiago Assis disse...

Precária a situação da sala não é?
Pelo que você disse, já uma conquista conseguir assistir alguma aula e ter paciência para tal. Acho que é da paciência adquirida que vei o sangue frio que você citou no post. Oo

E a chuva hein!? Só em pensar no calor que faz aqui em Setembro/Outubro... dá até vontade de ter passado por uma chuva assim.

=]