sexta-feira, maio 04, 2007

Como criar um RPG de videogame



Adaptado desse verbete da Desciclopédia. Essa é para os nerds de plantão (como eu). que já gastaram muitas horas de sua adolescência no maravilhoso mundo dos games de RPG (99% deles via emuladores pra PCs):



O Mundo:

- O mundo precisa ter todos estes elementos: 1 ou 2 continentes grandes, desertos, oceanos, ilhas, cachoeiras, penhascos, lagoas, rios, pontes, pastos verdejantes, cavernas, florestas inoportunas e negras, montanhas nevadas, montanhas comuns, cidade pequena, cidade média, cidade gigantesca, cidade minúscula (a sua, sempre), cidade voadora, cidade subterrânea, e mais alguns lugares secretos variantes.

- O mapa não pode ter nenhuma lógica geográfica, e deve ser construído de modo que seu personagem só possa acessar uma cidade de cada vez, tendo no meio do caminho de uma pra outra um dos elementos geográficos citados acima (como penhasco, caverna, etc).

- Em geral, entre a fronteira de dois terrenos, TUDO muda: a neve vira deserto, o pasto verde se torna floresta negra e o castelinho do bem está magicamente fazendo fronteira com o castelinho do mal. Sempre, SEMPRE, SEMPRE quando você chegar numa borda do mapa, tem que aparecer na borda oposta.

- E lembre-se que o mapa precisa conter empecilhos que impeçam você de chegar de maneira rápida e direta aos lugares, a não ser perto do fim, quando você pega alguma máquina voadora que te permite ir a qualquer lugar (o que faz o jogo perder toda a graça).


Início:

- O jogo precisa começar com uma tela pedindo seu nome. Ou um apelido idiota que transmita uma sensação de poder e virilidade.

- Após dar nome ao personagem, o jogo precisa pular para tela preta com uma voz te chamando pra acordar. Seja uma entidade que fala por sonho, seja um parente (mãe, tio) que tenta te acordar. Aliás, seu personagem está sempre dormindo.

- Caso não esteja dormindo, o jogo começa numa cena aparentemente desconexa e sem sentido, que mais tarde se revelará como um evento futuro no jogo. Aí precisa acontecer um flashback que leva a alguns dias ou anos no passado, onde seu personagem se encontra dormindo.

- O protagonista do jogo é sempre um sujeitinho mudo, sem a menor força de vontade. O protagonista precisa concordar com as idéias alheias sempre, não importando se estão pedindo para entrar numa caverna infestada de monstros só para recuperar um ursinho de pelúcia. Você deve concordar com tudo que os outros dizem ou o jogo não segue.

- Você SEMPRE vai ver uma vila, em geral no começo do rpg, em que um guarda vai estar bloqueando a saída. Todo RPG tem isso. T-O-D-O-S.


Desenvolvimento:

- Você precisa fazer alguma tarefinha básica, tipo cortar lenha, alimentar os porcos, sair pra caçar ou levar um item de uma pessoa a outra, mas de qualquer modo saindo da tal cidade minúscula.

- Dentre os monstros iniciais, você precisa matar slimes (monstros gelatinosos). TODO RPG tem monstros gelatinosos, só muda o nome do bichinho.

- Assim que você voltar, a cidade precisa estar toda arrasada e seus pais (ou tios, avós, lêmures ou qualquer coisa que tenha te criado) mortos e assassinados. Todos os villagers (vileiros) também devem estar mortos, bem como os Elders e os Blacksmiths. Eventualmente, a cidade pode estar em chamas. Precisa sobrar alguém vivo pra te contar que quem fez isso estava atrás de você. Geralmente um fulano tosco e mau, de pele laranja, com um nariz enorme chamado Ganodorf, que ri da sua cara com uma gargalhada excêntrica no decorrer do jogo. Por quê? Não adianta tentar saber porque ninguém vai te contar. Apesar de que todos já sabem.

- Você precisa sair matando abelhas, coelhos, arbustos e outras bestas satânicas. Tudo com uma espada. Aliás, você precisa de uma espada para qualquer coisa, é praticamente um canivetinho do McGaiver.

- O mundo fictício é acometido de ares de letargia, catatonia ou magia negra, que faz os personagens atacarem um de cada vez. Isto é, os inimigos ficam te encarando até você resolver o que fazer, aí atacam um por um. Alguns jogadores usam isso como vantagem e até chegam a bolar estratégias.

- Caso você abra um baú diferente dos outros, ele SEMPRE explodirá ou um inimigo sairá dele.

- Geralmente a história se resume em algo como "colete todas as pedras/armas/magias Elementais (a palavra "elemento" sempre é bem vinda em um RPG de video-game) antes que o mundo vire um caos" ou "evite que o inimigo as colete" ou qualquer variante do tipo.

- Você precisa entrar em todas as casas cujas portas não estejam trancadas e levar todos os objetos de valor, seja apenas uma barra de chocolate ou 20.000 moedas de ouro, e sair sem dar a menor explicação aos moradores (não que eles liguem).

- Quando chegar por uma cidade que ainda não tinha visitado, vá comprar em qualquer lugar. Com certeza tem algo mais forte do que o seu equipamento atual.

-Nenhum NPC (personagem trivial) pode falar com você à menos que você fale com ele, e eles costumam dar informações inúteis ou comentários acerca da catástrofe que acomete a cidade.

-TODAS as pessoas que você ajuda (por boa vontade, claro) precisam lhe presentear com algum dinheiro ou algum equipamento. E se você não ganha porra nenhuma, irá receber alguma informação importante para o andamento da história, ou ganhará permissão para ir a tal lugar que antes não era acessível porque o guardinha azul ficava na sua frente.

- Se você morrer, um dispositivo ultra-secreto que está integrado ao seu corpo se auto-ativará e fará você voltar no tempo até o ponto em que você estava vivo. Isto porque tempos atrás você gravou um "ponto de restauração do tempo". Se você não fez nada, morreu pra sempre e terá que começar tudo de novo, mané!

- Maçãs, bananas, melancias, goiabas, ameixas, caquis, carambolas ou qualquer outra frutinha recuperam um pouco da sua energia. Mas não se preocupe! Você não ficará obeso por isso.

- Por algum motivo desconhecido, TODOS os monstros estão classificados por nível, dificuldade e experiência ganha ao matá-lo. De vez em quando, antes de morrer, um inimigo te dá uma pequena lição de batalha ou escreve algum ensinamento no quadro para você aprender melhor.

-Em algum ponto do jogo você precisa ser preso numa cadeia, para que possa escapar de lá. Em todo RPG você é preso, sendo inocente ou não. Na maioria das vezes você é inocente (do crime do qual foi acusado, mas não dos roubos e invasões de domicílio que seu personagem comete com tranqüilidade).

-Em algum momento você também precisa enfrentar um inimigo MUITO mais foda que você e tomar uma sova daquelas, porque ele é imortal naquela batalha. Por algum motivo não dá game over, e você acorda ou numa cadeia (item aí de cima) ou numa cama desconhecida sendo tratado por alguém. O cara que te bateu? Mais tarde ele entra pro teu grupo, ou você o enfrenta de novo e aí sim dá uma surra nele.


Clímax:

- Eventualmente você precisa encontrar mais pessoas que se juntem à sua "festa" (ou party, como os jogadores costumam dizer). A saber: uma menina loira (que mais tarde se revelará como princesa fugitiva ou banida ou algo do gênero); um personagem bizarro, que servirá de alívio cômico (e que não vai servir pra nada no jogo exceto para o discurso de "Como as coisas mudaram depois que te conheci"); e um cara de cabelo comprido, que é o tipo misterioso de passado obscuro e que você encontra numa cidade grande.

- Como já mencionado, você vai precisar ir pra uma cidade imensa pra fazer compras. Lá você encontrará:
- um rei enfeitiçado (que você precisa desenfeitiçar)
- uma mãe que perdeu o filho (que você precisa encontrar)
- um velhinho louco que vai falar de algum monstro lendário que vive numa caverna local (que você precisa matar)
- o cara de cabelo comprido (que precisa entrar na sua equipe)
- camelôs
- Garotinhos ou garotinhas correndo em círculos (quadrados) de 3x3 gritando "ehhh". Se você ficar parado bloqueando o caminho deles, eles continuam correndo sem sair do lugar na sua frente.

- O jogo precisa revelar que você é um messias, uma profecia, um salvador, um libertador ou qualquer coisa do gênero, motivo pelos quais os inimigos destruíram sua vila de vileiros, e agora só você pode salvar o mundo (ou pelo menos o mapa que o representa).

- Potions. Item extremamente comum em TODOS RPG. Seu personagem chega a ficar doidão de tanto tomar dessa tranqueira.

- Não me pergunte como você consegue ficar vivo depois de levar ataques como Explosão Estrelar, Inferno, Meteor, e outras magias de nomes tão sugestivos.


Conclusão:

- O vilão principal precisa ter um discurso interminável, fazer piadinhas, ter visual poser, cabelo comprido e franjinha emo.

- Se você foi acordado no começo por uma entidade de sonho, ela costuma se revelar agora.

- No começo da luta, alguém precisa morrer. Geralmente o cara de cabelo comprido.

- Você precisa agora pegar sua Steel Greatsword, seu Hunter Long Battle Bow, usar todos os seus charms, potions e poderes elementais (água, terra, fogo, vento, coração, Capitão Planeta!) e passar o rodo no vilão de franjinha emo. Mas ele não morre. Quando morre, ele se transforma em um dragão ou outra criatura que mal cabe na tela do PC e morre em dez segundos, além de ter um nome que você nunca vai descobrir a não ser que hackeie o jogo e descubra que algo bem pomposo como "Seck Leader Gom".

- Quem dá o golpe final no vilão precisa ser o cara de cabelo comprido, que todos achavam ter morrido (mas que na verdade só "levou um arranhão"). Ele revela seu passado, e sempre ele é alguém que:
- perdeu a família

- perdeu o povo
- perdeu tudo
- perdeu as botas
- perdeu o cachorro
- perdeu o gato
- perdeu o PC
- perdeu o cabaço
- perdeu uma partida de truco
- perdeu uma partida de futebol
- perdeu uma partida de street fighter
- perdeu a mulher
- perdeu a vida
- perdeu a razão
- perdeu o juízo
- perdeu a vergonha
- perdeu a fortuna no cassino

- cagou nas calças
- mijou na cama
- brigou com a sogra
- foi baleado
- morreu
- bateu uma punheta bêbado e quando percebeu tinha batido uma pra Dercy Gonçalves
- perdeu 50 centavos
- virou gay
- Levou um Fatality no MK
- brigou com o cachorro

- O vilão precisa morrer, a paz ser restaurada e os cenários que eram cinzas e secos precisam ficar verdes e floridos, com adição de coelhinhos saltitantes.

- A menina loira precisa se declarar pra você, pois o jogador precisa ser recompensado depois de seu esforço com algo que ele não tenha na vida real. Em algum momento ela o beija (ou é o que parece, já que dá pra ver mal e porcamente. Queria o quê, os gráficos eram uma porcaria... ou porque os personagens ainda eram crianças, ou ficaram crianças... ah, abstraia, é RPG!).

- O cara de cabelo comprido precisa ir embora porque ele deve seguir em frente em alguma busca interior e pessoal. Otário!

- Você volta pra casa e sua mãe (ou tio, ou avô, ou lêmur, ou qualquer coisa que te criava) nem ficou sabendo que você saiu. Isto é, se eles não morreram no ataque do começo, ou se foram ressuscitados por algum método estapafúrdio.


E não se esqueça:

- Lendas são sempre reais, boatos são sempre verdadeiros, e profecias sempre se cumprem. Com você.

- Uma noite numa estalagem vale mais do que um ano de UTI (cura tudo, desde perna quebrada até quase morte).

- Se alguém disser que vai se vingar, acredite.

- Se mais de duas pessoas falarem sobre qualquer assunto é porque envolve (ou vai envolver) você.

- Se algum monstro falar mais de duas linhas de texto, é porque a luta vai durar mais que 20 segundos.

- Quando encontrar o mesmo monstro com uma cor diferente, é porque ele é mais forte que o anterior.

- Espada ganha de Machado, Machado ganha de Lança e Lança ganha de Espada (não me pergunte o porquê).

- Luz ganha de Trevas, Trevas ganha de Elemental e Elemental ganha de Luz (também não pergunte o porquê).

(aos leitores do blog: sim, eu consertei os links quebrados e voltei a postar!Comemorem!)

4 comentários:

Michel de Oliveira disse...

A Gabi voltou! Tudo bem que pegou o que os caras escreveram na Desciclopédia, mas tá valendo.

E quanto aos RPGs acrescento umas poucas coisinhas.

O nome Vaan não dá muita noção de virilidade - isso e o visual dele.

Existem nomes mais pomposos e estapafúrdios para golpes overpower como Total Anihilation e Giga-Gravitron(o último é game over na hora, pelo menos)

O vilão mais esdrúxulo que há chama-se Sin, do Final Fantasy X. Ele é simplesmente uma baleia extra-gigante overpower e que voa no final. O Giga-Gravitron é dele.

E sim, RPGs de videogame são tudo, menos verosímeis e criativos.

Mas Xenosaga é bom!

Rita disse...

ai que coisa grande e videogamistica.
deu preguiça.

José Roberto Pereira disse...

Por isso eu prefiro animes hentai.
Você só precisa fazer sexo.
Ou o sexo precisa vir até você e precisa transar contigo.
Os demais eventos são irrelevantes.

Hëll disse...

Haha... legal...