sábado, agosto 02, 2008

"A Bússola de Ouro", o filme: eu vi

Demorou, mas finalmente eu assisti. Mais de seis meses depois que o filme estreou nos cinemas. Na época falaram tão mal do coitado que eu fiquei morrendo de medo de ser uma bomba e acabei não fazendo muita força pra ver na tela grande (mas fiz força pra ver Fim dos Tempos e achei uma bosta, dã). E não é que no final das contas o filme nem é tão ruim assim? Do contrário, o filme é muito bom, mas tem alguns errinhos que prejudicaram o resultado final. O mais triste é perceber que se tivessem mexido em pouca coisa, teriam um filme inesquecível, ou seja: tentaram o gol e bateu na trave.

Começando com os pontos bons do filme: os cenários ficaram belíssimos, de uma riqueza impressionante. Os ambientes, os acessórios (equipamentos, veículos, a própria Bússola Dourada do título), tudo muito bonito e bem feito.

Adorei a caracterização dos personagens. Tudo bem que os gípcios ficaram com jeitão de ser uma tribo de Jack Sparrows, mas isso não chega a comprometer.

O roteiro também merece aplausos, pois conseguiram enxugar bastante o que tinha no livro, preservaram as partes essenciais para entender a história (com excessão de uma, explico depois) e nas sequências em que reinventaram acontecimentos foram bem fiéis à história. Alguns personagens foram suprimidos (Tony Makarios, que
protagonizava uma das passagens mais tristes e angustiantes do livro; seu personagem foi "incorporado" em Billy Costa) e muita coisa legal ficou de fora; mas é uma adaptação, normal que não desse para colocarem tudo.

A trilha sonora também ficou correta; eu imaginava umas músicas mais pomposas pras tomadas de neve, pra evidenciar a imensidão delas. Mas aí já sou eu...

Agora os pontos negativos... Primeiro de todos: as sequências de ação e de batalha são MUITO curtas. Sério, quando você começa a se empolgar com a bagunça, de repente acaba, mal dá pra sentir frio na barriga pelos personagens. Faltou timing à equipe.

Segundo: a história acaba ficando extremamente corrida e mal explicada em algumas partes. Acho que foi o problema de timing que eu coloquei logo acima, porque o roteiro já estava bem enxuto e não havia a necessidade daquela correria toda. Alguns personagens acabam bem mal aproveitados, eles entram em cena e saem com uma facilidade enorme, a ponto de você se perguntar pra que eles foram inseridos ali.

Terceiro, mas o menos grave e mais compreensível: como é que numa luta até a morte entre dois ursos polares usando armaduras não há nada de sangue? Sei que a censura norte-americana pega pesado com o fluidozinho vermelho e por isso dá pra dar um desconto. Mas que ia ser lindo ver o contraste na neve sendo tingida enquanto os bichos se estapeassem, isso ia...

E o quarto problema, e o mais grotesco de todos: cortaram o final do livro! Juro que não entendi porquê. A única explicação que me vêm é que quisessem dar um final mais feliz ao filme (não se preocupem, sem spoilers aqui), mas ainda assim é estranho porque não faz muito sentido. E o mais bizarro é que esse final já havia sido gravado e deixaram de fora na sala de edição.*

Enfim, como eu falei no início, chegaram muito perto de fazer um filme excelente, já que a trama da trilogia Fronteiras do Universo já é muito boa por si só. Mas acabaram escorregando, o resultado se refletiu nas bilheterias e há até o risco das sequências não saírem. Uma pena, porque a história merecia isso.

*Alguém que tenha visto uma cópia do lançamento em DVD pode me dizer se incluíram o fatídico final? Ou se há cenas extras ou algum tipo de mudança? A versão que eu assisti era uma pirata que saiu na mesma época das cópias de cinema, então não sei como são os extras de DVD.

6 comentários:

jota freire disse...

cópia pirata?? vc trouxe ela ou ficou em ouro branco? se ficou, vc está me dando um bocado de vontade de assistir.....
e quanto ao Tony, só um comentário:
"aonde está minha rateira?"
droga!!!!!!!!!!!!

Rita disse...

bao!
eu vi em casa nas ferias e os extras eram "como construir os ursos"
daemons
the book
nicole kidman
lyra etc
nao tinha nada depois dos creditos (se eh o q vc quer saber)

faltou vc dizer "nao tinha uma meninazinha melhor pra fazer a lyra nao?"

pq pqp!!

Isabelle disse...

A atriz não é ruim, na verdade ela é uma grande fã da trilogia. Mas pra qm realmente viu os extras do dvd sabe como é foda interagir com algo q realmente n está ali e pela primeira vez, tbm dá pra perceber q a verba tava curtíssima, tanto q ao fazer os dimons eles tinham medo de ecxeder o valor. Isso e mais a qestão religiosa limitaram o filme, só pra vcs terem uma idéia, acusaram o Philip Pullman de ter tido publicamente que via o script como uma intenção de afastar os jovens da cristandade só pq souberam q o cara é ateu!
Só depois q a @$%# já tava feita é q resolveram-se as diferenças, grupos religiosos se desculparam com o ator por ser provado q o livro n tratava do des cristão, eu nunca liguei pra isso, mas sei q no momento as grandes dificuldades são a crise economica e até msm conseguir q outra produtora pegue a direçÕ DO FILME.
Talvez a new line cinema nunca volte ao auge, tendo se esgueirado a ele somente durante a publicação do filme, mas em todo caso, esta trilogia é de certo modo disputada entre certas companias. A atriz Dakota Blue Richards, no entanto, torce para q se a continuação for feita q eles sejam rápidos, pois logo ela n poderá atuar como Lyra, o que preocupa , já q ela tem quase quinze e as feições infantis vão sumindo aos poucos.
Sou uma grande fã da trilogia de Philip Pullman, resolvi postar esse comentário no exato momento em que li no livro ''A luneta âmbar'' q um tal de Tony, estava morto assim como Roger e o pai de Will, daí pesquisei para saber qm é Tony pois li a faca sutil tbm e n fiquei sabendo de tony algum. Por acaso, acabei achando este blog da Gabriella Martins e decidi postar uma opinião.Eu sabia q estava faltando algo no filme mas n sabia o q, então estou parando de ler a luneta âmbar e vou voltar para essa história depois q ler a bussola de ouro, pq preciso de mais informações principalkmete ao saber q o livro é tão incompleto assim.
O NOME COM O QUAL ESTOU POSTANDO É REALMENTE MEU, ASSIM COMO VC GABRIELLA, JOTA E RITA (SE FOREM ESTES OS NOMES), CURTO MTO ESSA TRILOGIA E SE QUISEREM TROCAR INFORMAÇÕES OU CONVERSAR MEU HOTMAIL É:ISA_MUNDOCANIBAL.HAPPYTREEFRIENDS@HOTMAIL.COM

mimi disse...

Quase um ano depois do seu post vim comentar pois vi o filme recentemente e me interessei pelo assunto!
Quando você disse que várias partes do filme ficaram mal-explicadas, põe mal-explicadas nisso. A começar pela própria persona de Lyra, que no livro é uma menina-muleque, e no filme parece mais uma menininha corajosa.
Bem, eu vi o filme acidentalmente enquanto trocava entre um canal e outro da TV, e acabei me interessando por ele. Peguei a história depois de uns 20 min que o filme havia começado e vou dizer: não entendi quase nada! Pra começar que pela parte que peguei do filme, não consegui nem entender que o daemon era o animal que acompanhava cada ser humano. Depois, também não entendi por que o Pó era tão ruim, ou o que ele causava... enfim, mil e uma indagações ficaram na minha cabeça quando o filme acabou, então naturalmente vim ao Google para primeiramente pesquisar o que era o tal do daemon. Então descobri que não se tratava de um filme, mas sim de uma adaptação de um livro... achei a história bastante interessante e então fui ler!
O filme ficou bastante interessante, mas como de costume, o livro mata a pau. Acho que pecaram demais quanto às supressões de fatos da história e quanto às distorções, também - como você citou, condensaram o papel do Tony no Billy.
Podia ter ficado genial, mas ficou um filme para nível de uma Sessão da Tarde animadinha.
Obrigada pela resenha!

Um abraço.

mimi disse...

Ah, mais uma coisa! Sobre a atriz, achei ela excelente... só acho que quem fez o roteiro e a produção do filme deveria ter se mantido mais fiel às caracteristicas da Lyra de verdade (hehe!).

Anônimo disse...

é eu n sei pq fizeram a @#%# de nn por o fimm...D=vão gravar "a faca sutil"logo?deveriammm!!
E MIMI EU CONCORDO COM VC!!!!